top of page

DEUS ME LIVRE DA LIBERDADE

Abrir o Netflix é uma das experiências mais angustiantes para mim. É surreal saber que eles tem quase 3000 títulos em seu catálogo e eu não consigo escolher um mísero filme para me distrair. Já perdi as contas de quantas vezes que desliguei, por não saber o que escolher. O mesmo vale para o outro app vermelho de comida, é sofrido manobrar minha vontade e meu bolso. O homem é péssimo em escolher desde o jardim. A angústia de Adão e Eva não era por fome, mas por ter que escolher não comer. Ele tinha tudo, porém não tinha o fruto do centro do jardim.


Aos homens, é resguardado sempre o eco daquilo que não se viveu, mas se avizinhou. Podemos comer sorvete, mas cultivamos na boca o sabor daquele que não escolhemos - por isso indico o napolitano.


Se para Adão que tinha que conviver apenas com sua mulher, um único Deus e frutas já foi um problemas as escolhas, imagina para nós.


Nossa geração é a mais angustiada e consumidora de remédios para ansiedade. Temos problemas para dormir, dificuldade de suportar a rotina e preocupações constantes com o futuro. Meus avós não eram assim, tampouco os avós dos meus avós.


A escolhe é o demônio. Consome e te leva a frustração, imersos em uma sensação constante de “e se eu tivesse escolhido o outro”. Somos insatisfeitos com nosso trabalho, relacionamento, filhos, familiares, amigos, profissão e, sobretudo, insatisfeitos conosco.


Vivemos subjugados pela liberdade, ou melhor, pela sensação de liberdade, somos escravos das opções. E isso é aterrorizante! Romanos 1, Paulo descreve bem essa dinâmica; no verso 24 ele diz: “Por isso Deus os entregou à impureza sexual” e no 26 ele reitera: “Por causa disso Deus os entregou a paixões vergonhosas”. R.C Sproul, em seu comentário desse texto diz: “a maior punição de Deus para o homem não é o inferno, mas é deixar fazer a sua vontade.”


Cristo se apresenta como nosso Senhor, como donatários de nossas vidas. Paulo, ao escrever as igrejas se apresentava como escravo de Cristo, o mesmo vale para Tiago, irmão de Jesus, mas em sua epístola é escravo de Cristo.


Não se iluda, você não é livre. Não existe liberdade nem para escolher o filme do Netflix, de igual modo, você irá comprar de forma inconsciente o rango da moda no ifood.


Deus me livre de ser livre, prefiro que meu Senhor, todo poderoso e onisciente guie o barco da minha vida. Que o Criador conduza meus dias.


Ame a escravidão em Cristo, adore as correntes de que prender aos pés da cruz, pois, elas são forjadas no amor e verdadeira liberdade.


Que o Pai de amor venha nos aceitar como seus servos. Por: Alexandre de Almeida


57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page